• Barbosa

#LISTA: Livros 2020



1. O Caçador de Pipas – Khaled Hossini

Sinopse: Trata-se da história da amizade de Amir e Hassan, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e está sempre à sombra do pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Uma tragédia acaba por afastar os amigos, mas vinte anos depois Amir precisa enfrentar seu passado.


Opinião: A obra nos mostra uma face do Afeganistão que a maior parte dos ocidentais provavelmente não conhece. Senti certa dificuldade de aceitar algumas coincidências difíceis de acreditar, e a falta de humanidade tanto do antagonista como de Hassan me afastaram um pouco da narrativa.


2. O Fantasma de Canterville e outras histórias – Oscar Wilde

Sinopse: Coletânea de oito contos escritos por Oscar Wilde, entre eles: O crime de lorde Arthur Saville, O amigo devotado, O fantasma de Canterville, O jovem rei, O milionário modelo, O pescador e sua alma, O retrato do Sr W. H. e O príncipe feliz.


Opinião: “O Fantasma de Canterville e outras histórias” é um livro voltado para o público infanto-juvenil, mas que diverte até mesmo os adultos, possui uma escrita fluida e fácil, ainda mais levando em conta de que se trata de uma obra de mais de 100 anos.


3. Pequeno Manual Antirracista – Djamila Ribeiro

Sinopse: Neste pequeno manual, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. A autora apresenta caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas.


Opinião: Como diz o título, realmente é um livro pequeno. São 100 páginas em uma edição de bolso, então não esperem muito aprofundamento sobre o tema. A obra é seccionada em dez tópicos onde a autora faz algumas considerações sobre a estrutura social racista. É válido como introdução para o leitor conhecer outras obras, o livro cita diversos autores que falam sobre a realidade do negro no Brasil.


4. Futebol ao Sol e à Sombra – Eduardo Galeano

Sinopse: Trata-se de uma coletânea de pequenos textos cujo tema central é o futebol. Nessa obra Galeano demostra sua paixão e admiração pelo esporte e aos esportistas, no entanto não deixa de exercer suas críticas contra a indústria que comanda o futebol e contra a própria sociedade moderna.


Opinião: Em Futebol ao Sol e à Sombra não existem aqueles característicos textos de adulação aos torcedores, como se esses fossem a razão de existir do jogo. Ora, para que o futebol aconteça basta a bola e uma pessoa, todo o resto são apêndices. Por outro lado, Eduardo Galeano faz questão de exaltar os verdadeiros heróis desse esporte: os jogadores.


5. A Luta – Norman Mailer

Sinopse: Zaire, 1974: Muhammad Ali desafia George Foreman. Neste relato magistral sobre a maior luta de boxe do século, Mailer põe o leitor na pele do boxeador e o faz pensar e sentir como se estivesse no ringue. É como se ninguém conhecesse o resultado da luta.


Opinião: Um artificio curioso é que Mailer narra a história da maior luta de boxe de todos os tempos em terceira pessoa e se coloca como um dos personagens do evento. E através do “narrador” podemos presenciar as coletivas de imprensa, ouvir as conversas particulares das equipes, acompanhar os treinamentos, enfim, experimentar esse evento esportivo que marcou o século XX como se estivéssemos realmente no República do Congo da década de 70.


6. Servos de Maria no Brasil – frei Ficarelli, frei Milanez e frei Dilermano

Sinopse: Apresentação da história dos 100 anos de presença dos Servos de Maria no Brasil. Na primeira seção frei Ficarelli faz um relato da ação missionaria desde seu início no Acre em 1920 até a criação da diocese de Rio Branco em 1986. Na segunda parte é descrita a ação dos frades no Acre e na região Sul-Sudeste, incluindo a missão em Moçambique. Na terceira seção frei Dilermano destaca a história dos conventos dos Servos de Maria no Brasil.


Opinião: Indicado para quem quer conhecer um pouco mais sobre a história da Ordem dos Servos de Maria e de seus frades que desembarcaram no Acre há um século e atualmente estão em diversas paróquias pelo Brasil em serviço missionário.


7. Churchil, uma Vida vol. 1 – Martin Gilbert

Sinopse: Escrito pelo historiador consagrado Martin Gilbert, este livro é a mais completa biografia já escrita sobre um dos estadistas mais importantes de todos os tempos – um homem de inteligência sublime e personalidade explosiva que esteve no centro de acontecimentos fundamentais do século XX. Churchill – uma vida é o casamento perfeito entre a dureza dos fatos da vida pública e os detalhes íntimos de um homem que exerceu papel preponderante para a divisão do mundo como o conhecemos hoje.


Opinião: Esse primeiro volume compreende desde o nascimento de Churchill em 1874 até os eventos imediatamente anteriores à segunda guerra mundial. Não se trata de uma leitura muito fácil, principalmente pela quantidade de detalhes que descreve, que se por um lado enriquece a obra, por outro a deixa sem dinamismo. Curioso observar aspectos da personalidade de Churchill que não conhecia. Inclusive sua visão enviesada do mundo. Ao mesmo tempo em que defendia a liberdade dos povos contra regimes totalitários ele lutava pela manutenção de um governo imperialista.


8. Na Minha Pele – Lázaro Ramos

Sinopse: Movido pelo desejo de viver num mundo em que a pluralidade cultural, racial, étnica e social seja vista como um valor positivo, e não uma ameaça, Lázaro Ramos divide com o leitor suas reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. Um livro sincero e revelador, que propõe uma mudança de conduta e nos convoca a ser mais vigilantes e atentos ao outro.


Opinião: A obra é um relato das impressões e episódios experimentados por Lázaro Ramos relacionados ao racismo, entremeado com algumas provocações do autor que nos fazem refletir. Por exemplo, em que momento um branco se percebe branco? Isso acontece ou é tido como uma condição “normalizada"? Por que os primeiros apelidos que uma criança negra recebe na escola tratam da cor da pele de forma negativa?

No entanto, um aspecto que me incomodou, é que senti que o livro é escrito para brancos, quase um racismo para iniciantes. Mas entendo que seja um meio para esclarecer como o racismo “inconsciente” é constante na sociedade.


9. A Morte de Ivan Ilitch – Liev Tolstói

Sinopse: Ivan Ilitch é um funcionário público do sistema judiciário da Rússia. Sua ascensão social acontece de modo tranquilo. Casa-se com uma mulher exigente, por isso se dedica ao trabalho. Seu trabalho é o refúgio que ele encontra para evitar sua família. Um dia, Ivan cai, se fere e acredita ter contraído uma doença. Inicia, então, um processo de busca pelo sentido da vida, durante o qual percebe terem sido poucos os momentos da sua existência que tiveram significado.


Opinião: Como em a “Crônica de uma Morte Anunciada” o aspecto dessa obra que prende o leitor não é o evento da morte em si, mas as reflexões que esta etapa final da vida provoca. Ao ver que sua vida está perto do fim Ivan Ilitch percebe que nunca viveu realmente. Ou melhor, percebe que viveu errado, mesmo tendo feito tudo o que devia fazer. Ao mesmo tempo acompanhamos como as pessoas de seu convívio reagem à sua morte, cada um movido por seu caráter e interesses.


38 visualizações6 comentários

Posts recentes

Ver tudo