• Barbosa

O Flanelinha


Vasculhando umas pastas antigas no meu HD encontrei esse singelo texto escrito há uma década. Espero que gostem.


"O Flanelinha


O forasteiro menos familiarizado com nosso ambiente pode achar que a Cidade Maravilhosa é um local onde lhe é assegurado o direito sacro de ir e vir, mal sabe o pobre infeliz que as ruas cariocas são a área de atuação de um dos mais ardilosos e maliciosos predadores da nossa fauna: O Flanelinha.


Trata-se de uma criatura extremamente territorial e podem agir tanto sozinhas como, se a necessidade assim o obrigar, em grupos de dois ou no máximo três indivíduos. Na verdade, o Flanelinha é um empreendedor com uma visão de dar inveja ao mais bem-sucedido figurão do mundo dos negócios.


Tirando partido da sensação de insegurança dos habitantes dessa selva de pedra, o Flanelinha se colocou a disposição para vigiar carros enquanto seus proprietários estão ausentes, cobrando por esse serviço uma módica quantia. Ainda que a maior ameaça a integridade do veículo automotor seja o próprio sentinela.


Indo no sentido contrário da estrutura clássica, em pirâmide, da cadeia alimentar, a população desse predador é enorme. Na frente de qualquer estabelecimento comercial você poderá facilmente reconhecer um Flanelinha. Dono de uma capacidade nata de permanecer horas sentado em um banco de madeira, e correr grandes distancias de chinelo atrás de um carro, o Flanelinha geralmente usa como traje uma camiseta falsificada de algum time de futebol e uma bermuda surrada. E, apesar dessa atitude estar caindo em desuso, alguns ainda mantem o tradicional costume de carregar um pedaço de pano imundo nas mãos (flanela).


Após anos de experimentação cientifica e observação cuidadosa dos vínculos que essa espécie mantém com outras que reinam pelas ruas da cidade, chegou-se a conclusão de que a maneira mais segura e eficaz de se lidar com esse vil predador é perdendo dois reais mesmo."

32 visualizações8 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Caindo