• Barbosa

Os 5 Melhores Filmes de Guerra


Se pudermos citar uma característica norte-americana além do consumismo desenfreado essa seria a inclinação bélica. Sendo a guerra um tema tão importante na cultura do país mais poderoso do mundo é natural que ela seja retratada de diversas maneiras na indústria do cinema. Assim, segue minha humilde lista dos meus cinco filmes favoritos sobre guerra, em ordem crescente de preferência.


Mas antes algumas observações: trata-se de uma lista de filmes onde é retratado o combate entre exércitos e não histórias apenas ambientadas em um período de guerra. Ou seja, obras como “A Lista de Schindler”, “Bastardos Inglórios” e “A Vida é Bela” ficaram de fora, por exemplo. Outro ponto é que dessa vez não darei notas para os filmes, mas deixarei as notas do Rotten Tomatoes como parâmetro para vocês.


Vamos lá!


5. Apocalypse Now Redux (1979) – Francis Ford Coppola


Sinopse: Durante a guerra no Vietnã o Capitão Willard (Martin Sheen) recebe a missão de encontrar e matar um comandante das Forças Especiais, o Coronel Kurtz (Marlon Brando), que aparentemente enlouqueceu e se refugiou nas selvas do Camboja, onde comanda um exército de fanáticos.


Opinião com spoilers: Que tremenda viagem é esse filme! É quase uma unanimidade que esse é o melhor filme de guerra já feito, e se trata de um clássico estabelecido, mas creio que não consegui entender direito a mensagem que Coppola quis passar aqui, por isso ele ficou em uma posição tão baixa no meu ranking.


Não há um único personagem são nessa obra. O capitão Willard, a tripulação do barco que leva ele ao longo do rio, o tenente-coronel Bill, que para praticar surf em um campo de guerra despeja napalm ao longo de uma floresta, são exemplos de personagens que perderam sua sanidade durante a guerra. Mas não são os únicos. Os franceses do rancho, o exército do coronel Kurtz, até as coelhinhas da Playboy! Todos os personagens demonstram algum nível de degradação mental. Será que o único são nessa história é o Kurtz? Vai saber.


Esse filme com certeza conseguiu retratar bem a loucura da guerra e como ela afeta a todos, desde os militares de diversas patentes até os civis. Aqui tem muitas coisas que são ótimas. A cena da cavalaria nos helicópteros atacando ao som de Wagner é icônica, bem como a cena de abertura que conta com a canção The End do The Doors. A atuação de Marlon Brandon é incrível, assim como Martin Sheen. E como esquecer o “Adoro o cheiro de napalm pela manhã”?


Para ser honesto, a única versão que assisti desse filme foi a estendida do diretor lançada em 2001 que conta com 3h15min de duração. Acho que esse corte ficou demasiadamente longo e prejudicou um pouco minha experiência.


Rotten Tomatoes: 98% (Redux 93%)

4. 1917 (2019) – Sam Mendes


Sinopse: Os cabos Schofield (George MacKay) e Blake (Dean-Charles Chapman) são jovens soldados britânicos durante a Primeira Guerra Mundial encarregados de uma missão aparentemente impossível. Os dois precisam atravessar o território inimigo, lutando contra o tempo, para entregar uma mensagem que pode salvar cerca de 1.600 colegas de batalhão.


Opinião com spoilers: Já temos uma resenha completa sobre 1917 aqui no blog: https://www.madruganalapa.com.br/post/1917-resenha. A verdade é que não há nada muito original no roteiro, tratando-se da tradicional jornada a partir do ponto A para o ponto B. No entanto, o filme chama muito a atenção pelos aspectos técnicos. A história é contada em apenas dois grandes planos-sequência com apenas um corte explícito. Talvez apenas um outro filme de guerra conseguiu criar uma experiencia tão real de imersão quanto esse. Vocês descobrirão qual é mais adiante.


Por seu valor de entretenimento 1917 é, na minha opinião, o quarto melhor filme de guerra de todos os tempos.


Rotten Tomatoes: 89%


3. Platoon (1986) – Oliver Stone


Sinopse: Produto das experiências pessoais do diretor Oliver Stone no Vietnã, Platoon mostra uma visão angustiante da guerra, apoiada por uma performance marcante de Charlie Sheen, um jovem soldado no Vietnã que enfrenta uma crise moral quando confrontado com os horrores da guerra e a dualidade do homem.


Opinião com spoilers: Platoon retrata a guerra sob o prisma do choque de ideologias representado pelos sargentos Bob Barnes (Tom Berenger) e Elias Grodin (Williem Dafoe). Enquanto o primeiro é rígido com os subordinados e cruel com os adversários e civis, o segundo mantem ideais humanitários e defende que mesmo na guerra algumas linhas não devem ser cruzadas. Acompanhamos a saga através do soldado Taylor, que se alistou voluntariamente para lutar no Vietnã pois não achava justo que apenas os pobres arriscassem suas vidas para defender o estilo de vida dos americanos ricos, como o próprio Taylor.


Platoon mostra de forma bastante crua os excessos cometidos pelos americanos em um país estrangeiro, e a maneira como a inaptidão dos oficiais podem causar mais problemas para os soldados do que os inimigos em si.


Rotten Tomatoes: 88%


2. Nascido Para Matar (1987) – Stanley Kubrick


Sinopse: Um sargento (R. Lee Ermey) treina de forma fanática e sádica os recrutas em uma base de treinamentos, na intenção de transformá-los em máquinas de guerra para combater na Guerra do Vietnã. Após serem transformados em fuzileiros navais, eles são enviados para a guerra e quando lá chegam se deparam com seus horrores.


Opinião com spoilers: O primeiro ato desse filme é incrível, e é isso que trouxe ele para uma posição tão alta nessa lista. Infelizmente a segunda metade acabou me perdendo um pouco. O personagem do Lee Ermey é a personificação do superior que lidera pelo medo. O espectador presencia a transformação de meninos em Marines, e durante essa jornada Kubrick nos mostra como a mentalidade toxica da guerra é inserida na mente dos soldados muito antes destes serem enviados para o campo de batalha. O treinamento tira a identidade, e humanidade, daqueles jovens e o produto disso é uma maquina de guerra com uma mente assassina que, algumas vezes, têm resultados dramáticos.


Esse filme abusa do humor negro até o ponto de você se sentir patético por achar graça em algo tão perturbador. Por fim a dualidade expressa pelo protagonista, o soldado Hilário, chega a ser ridícula de tão bizarra. Vide a cena em que ele explica como pode escrever “Nascido para matar” no capacete e ao mesmo tempo usar um broche com o símbolo da paz.


Posso estra enganado, mas me parece que Kubrick não mostra nenhum inimigo vietcongue até o final do filme. A única que aparece é a menina que estava como sniper já na cena final. É quase como se tudo o que os personagens experimentam fosse fruto de suas atitudes e não de algum inimigo personificado.


Por expor ao espectador a rotina que transforma jovens em maquinas de guerra a serviço dos Estado Unidos considero Nascido Para Matar meu segundo filme de guerra favorito.


Rotten Tomatoes: 91%


1. O Resgate do Soldado Ryan (1998) – Steven Spielberg


Sinopse: Ao desembarcar na Normandia, no dia 6 de junho de 1944, capitão Miller (Tom Hanks) recebe a missão de comandar um grupo do segundo batalhão para o resgate do soldado James Ryan, caçula de quatro irmãos, dentre os quais três morreram em combate. Por ordens do chefe George C. Marshall, eles precisam procurar o soldado e garantir o seu retorno, com vida, para casa.


Opinião com spoilers: Por fim, considero O Resgate do Soldado Ryan como o melhor filme de guerra já feito na história do cinema. Nenhum outro filme conseguiu colocar o espectador em um campo de guerra como esse (1917 chegou perto). A cena do desembarque na praia de Omaha é a melhor sequencia de batalha já filmada (a segunda melhor é a batalha de Rohan em As Duas Torres). São 24 minutos cheios de tensão mostrando de uma maneira crua a realidade de um movimento bélico como aquele. E isso é só o início do filme!


O único ponto frágil que enxergo nessa obra é o desejo de um general resgatar um único soldado, mesmo que isso signifique sacrificar a vida de vários outros. Mas a forma como a companhia encara essa missão acaba representando bem nossa incredulidade diante dela. Falando nisso, Tom Hanks incorporou bem esse sentimento dos combatentes em enxergar cada missão como um passo necessário para voltar para casa, sem questionar as consequências que ela pode gerar.


Rotten Tomatoes: 93%

Vemos nessa singela lista que alguns dos maiores diretores de todos os tempos se aventuraram no tema da guerra com resultados que entraram para história, tais como Kubrick, Coppola e Spielberg, mostrando o quanto essa questão é importante para o público americano.

Como seria a lista de vocês? Muito diferente? Faltou algum filme? Coloquem nos comentários.


Abaixo a lista resumida:


1. O Resgate do Soldado Ryan (1998) – Steven Spielberg [93%]

2. Nascido Para Matar (1987) – Stanley Kubrick [91%]

3. Platoon (1986) – Oliver Stone [88%]

4. 1917 (2019) – Sam Mendes [89%]

5. Apocalypse Now Redux (1979/2001) – Francis Ford Coppola [93%]

60 visualizações9 comentários

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+