• Leandro Barreiros

Scream [Pânico]



O filme pânico estreou em 1996 com a proposta de realizar um suspense e uma sátira a filmes do gênero, fazendo grande sucesso e incentivado milhares de trotes de amigos sem noção. Em 2015 o netflix realizou uma adaptação com as mesmas pretensões. O resultado? Meh.


A história envolve um grupo de adolescentes de vinte e cinco anos que vivem na cidade Lakewood, local em que ocorreu uma série de assassinatos em 1996 (atenção à referência). Vinte anos depois novos assassinatos voltam a ocorrer na cidade, todos aparentemente relacionados a Emma, uma estudante do colégio local.


Os típicos adolescentes adultos das séries americanas

Se vocês procuram por uma série de suspense inteligente, com atuações marcantes e desenvolvimentos coerente dos personagens, procurem outra série. Não digo com isso que Scream falha em entregar essas coisas à audiência. Essa simplesmente não é a proposta do seriado. O roteiro é meio bobo, os personagens são rasos e incoerentes e o resultado final faz tanto sentido quanto uma batata cavalgar um potro.


Mas é justamente isso que a série propõe. Algumas temáticas atuais são incorporadas para o debate com o público adolescente (cyberbullying, tolerância sexual) enquanto vemos os protagonistas tomarem as piores e mais irreais decisões possíveis, como é constantemente explicado por um dos personagens.


O que me incomodou um pouco é que não estamos mais na década de 90, e via de regra, os filmes de terror não tratam mais do gênero exatamente como é representado na série. Então senti um apelo muito mais nostálgico do que satírico. Desde a vinda do pânico original, tivemos diversas paródias um pouco mais escrachadas que brincaram com esse tipo de filme de um modo mais cômico (quem não lembra da loira escolhendo uma banana para enfrentar o vilão em todo mundo em pânico?).


De certa forma, Scream reproduz os roteiros preguiçosos de antigamente e se justifica na sátira, desenvolvida apenas em um dos personagens que narra toda a estupidez que os outros realizam. Em algum ponto isso ficou mais irritante do que divertido. Deu certo no filme, mas não aqui. Como este mesmo personagem disse no primeiro episódio, não se pode adaptar bem uma filme de terror para uma série.


Ainda assim, alguns ganchos pegam e simpatizamos com certos personagens. Em síntese, imaginem “malhação” com um (ou dois) serial killer.


No sexto episódio descobri o assassino da segunda temporada e no oitavo descobri o assassino da primeira. Não sei se vou assistir a segunda temporada. A verdade é que existem muitas séries superiores a Scream, como também há outras piores. Se vocês têm algum tempo sobrando, deem uma olhada nos primeiros episódios, senão, sugiro que busquem outras opções. Particularmente, classifico Scream como um “meh”.


Ahh, uma crítica ao gênero que achei muito mais interessante foi Cabin in the Woods, de Joss Whedon, mesmo diretor de “Vingadores”.


E vocês gostaram de Scream? Recomendam outras sátiras ao suspense?

12 visualizações

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+