• Leandro Barreiros

TOP 5 Filmes de Terror originais



Alguém se muda para uma casa no campo ou em uma parte isolada da cidade.


Talvez a família morasse na casa há anos, mas recentemente um adolescente desmiolado comprou uma tábua ouija (o pobre coitado não sabe que está em um filme de terror)


Aos poucos, pequenos fenômenos sobrenaturais começam a acontecer.


Um livro cai da estante sozinho.


O cachorro da casa rosna para o vazio.


O filho mais novo conhece um amigo imaginário.



Gradativamente crescem as interações sobrenaturais, assombrando cada vez mais a pobre família.


O poder aumenta com o medo e o espírito (ou demônio) liberta seus desejos com violência, possessão e, finalmente, mortes.


Dos últimos dez filmes bluckbuster's de terror lançados, é provável que eu tenha resumido o conteúdo de 6.


Os outros 5 costumam ser filmes envolvendo psicopatas quase indestrutíveis caçando atletas, nerds e modelos, ou, ainda, meninas japonesas com o rosto escondido por cabelos escuros.


Não há nada de errado com essas fórmulas prontas, mas quem gosta do gênero (ou mesmo quem não é fã) pode acabar sentindo desgaste com os roteiros semi prontos.


Pensando nisso, e na sanidade de sua quarentena, decidi listar os melhores cinco filmes de terror que consegui pensar nos quais a trama não se baseia exclusivamente em fantasmas, demônios ou psicopatas.


Evitei filmes antigos (da década de 90 para trás), sabendo que há terror (aí real demais) das Eras em que o celular era recurso escasso e, para ver alguém, era preciso realmente ver alguém.


Divergentes, por vezes essas obras são mais obscuras do que meus lúdicos cálculos matemáticos.


Nem todas trarão o horror ao seu coração (e o alívio da crença de que nosso inimigo está no sobrenatural), mas certamente apresentarão algo mais original do que se tem visto por aí. E, quem sabe, abram uma nova fenda de apreensão quando, à noite, você voltar sozinho para casa em uma rua deserta.


TOP 5 Filmes de Terror originais


5. As above, so below (2014)

Assim na Terra como no inferno


Imaginem um filme de Tomb Raider que gradativamente deixa o gênero de aventura para adentrar no terror.


É esse provavelmente um dos maiores méritos de "Assim na Terra como no Inferno". Uma transição de gêneros excepcional, começando com "a lenda do tesouro perdido" e terminando como "terror em silent hill".


Na história, a arqueóloga Scarlett Marlowe investiga a localização de um objeto sagrado, tentando concluir o trabalho de vida de seu pai.


Para cumprir seus objetivos, Scarlett está disposta a decair até as profundezas de Paris, arrastando toda sua equipe pelas lúgubres catacumbas que se escondem sob a cidade. Contudo, como descobrirão os desaventurados, mesmo abaixo de onde as históricas ossadas repousam, há um labirinto escondido.


4. Coherence (2014)



Em um momento distante da minha vida quis estudar sobre as diferentes acepções da loucura na literatura de Terror.


Saindo de Poe para Lovecraft, percebi que havia uma tendência de transformação da loucura, que de uma doença genética migrava para a descoberta da verdade. Não é raro que os personagens de Lovecraft percam a sanidade ao descobrir as verdades do universo.


Nossa razão é uma fraude.


Um esforço ilusório para dar sentido ao mundo em que vivemos, imaginando um propósito e uma racionalidade universal. Lovecraft brinca com a ideia da insignificância humana, e com a perda de nossa sanidade ao descobrirmos que somos vermes dispensáveis pelo universo, empalidecidos pelas ciclópicas criaturas que dormem em sono profundo, ou mesmo pela Cor que Cai do Espaço.


Coherence brinca com uma premissa parecida.


Como nos comportaríamos quando um pequeno fragmento da verdade do universo (no caso, mais ou menos apoiado pela física quântica) se tornasse observável?


Sugiro que evitem spoilers sobre o filme.


E se nada disso te convenceu, saiba que o ator que faz o Xander (Nicholas Brent), em Buffy, a caça-vampiros, faz parte do elenco do filme.


Agora você não tem motivo para não assistir.


3. Midsommar (2019)



O que pode ser pior do que o horror que se esconde na escuridão?


Ora, o horror que se mostra durante o dia.


Midsommar é um filme atrevido, que aposta nas tensões desconfortáveis do visual e dedilha temas mais ou menos tabus de nossa geração, como o Relativismo Cultural e o coletivismo levado até as últimas possibilidades.


Na trama, um grupo de amigos viaja para passar um tempo em uma comunidade sueca. Cada um tem um interesse particular na empreitada, variando do acadêmico para o medo do abandono.


A comunidade em breve realizará um Festival de Verão, e acompanharemos todos os rituais da exótica cultura local.


É um bom filme, mas tem um público específico: além do longo, o horror visual clássico é impetuoso. A tensão não é apenas psicológica, sendo também pincelada por imagens. Então se esse tipo de coisa é realmente desconfortável para você, pule este filme e assista:


2. The mist (2007)




O filme é uma das raras adaptações boas das obras de Stephen King.


Um misterioso nevoeiro toma conta de uma pequena cidade americana. David Drayton leva seu filho ao mercado para comprar mantimentos e acaba cercado pela neblina e pelas coisas que a habitam.


Dentre as muitas temáticas de "O nevoeiro", a história aborda o quão rápido as pessoas tendem a involuir em situações extremas e fora do normal. Quando o inferno emerge sobre a terra a sensatez é varrida de lado e dominada pela supersticiosidade.


1. The Cabin in the Woods (2011)



Começamos falando sobre os clichês do gênero de horror, nada mais poético do que terminar fazendo o mesmo.


Joss Whedon elabora uma narrativa que desconstrói, homenageia e critica as repetidas fórmulas do gênero.


Sobre o filme nada mais pode ser dito, para que o roteiro não sofra com spoilers.


Encontramos no filme mais uma pessoa do Buffyverse, desta vez Amy Acker, que interpretou Fred Burkle e Illirya no seriado "Angel", um dos melhores do gênero fantasia.


Menções honrosas



"A bruxa" e "Hereditário" são dois filmaços que mereciam estar no ranking. O primeiro não entrou porque já temos uma resenha completa dele e, o segundo, porque só lembrei quando terminei o ranking e não vou mexer de jeito nenhum. Mas assistam que vale a pena.



Mas o que acharam da lista? Alguma sugestão de filme que fuja um pouco das fórmulas repetidas?




© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+